terça-feira, 27 de julho de 2010

Encontros e despedidas...


Por mais longa que seja a nossa vida, ela um dia finda. Uma jornada duradoura, repleta de momentos felizes, de dificuldades e superações, derrotas  e vitórias. Uma caminhada livre, fruto das nossas escolhas, que nos dirá em nossa despedida o quanto valeu à pena. Para alguns, uma simples passagem, para outros um legado.

Conhecemos gente, carregamos gente, e também somos carregados. Choramos e gritamos de alegrias e tristezas, nos comprometemos com a vida. Abraçamos apertado, enquanto somos abraçados. Falamos palavras doces enquanto nos acariciamos, agraciados com mais um sorriso. Na pureza da alma o deleite.

Nossa vida, bela vida, é repleta de encontros e desencontros, de chegadas e partidas, de despedidas. Relacionamo-nos com pessoas, plantas, animais e desejos, assim como os perdemos. Fazemos a diferença na vida dos outros, para que a nossa vida seja diferente. Amamos, amamos e amamos...

Todas as lágrimas que derramamos têm um destino: regar a esperança e principiar sonhos, construindo novas trajetórias a passos ousados. Assim, as lágrimas que ora derramo, de felicitações pelo seu dia que se aproxima, são as mesmas pela sua ausência, pois anos que vêm são também anos que vão. Parabéns, desejo a  sua eterna presença!

3 comentários:

sr sincero disse...

Belo Texto! Admiro os homens que se matam por amor, principalmente os que não tem a coragem de dar um tiro no ouvido e escolhem se matar aos poucos como uma tortura chinesa. Se acabando em orações e poesia. Tomara ela ter valhido a pena. Tomara ela ter contribuido para seu crescimento, mas sinceramente ela não vai voltar, aconteceu comigo, acontece com todo mundo, mande ela pro universo para não falar para mandar para outro lugar e encontre outra musa, outra inspiração.


Sr Sincero.

Ana disse...

Nossa, Sr. Sincero, pelo visto você anda distribuindo suas sinceridades no meu blog, no blog da Ju, aqui neste blog, afinal de contas, qual é a sua?

Armando disse...

Sr Sincero, não posso ser mais pessoal na resposta, já que não sei quem és, mas agradeço a sua participação.
Ao olharmos o legado poético, trata-se sempre, muito mais de ausências do que de presenças, mas isso não significa que se refira a uma pessoa em especial. Pode relatar sentimentos referentes a momentos e situações e até desejos.
Essa é a mágica e o encanto da poesia escrita, pois quando a compartilhamos ela deixa de ser de quem a escreveu para ser do mundo, permitindo as mais doces ou rebeldes interpretações.
Gostei muito da sua participação e continue por aqui...